sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

AYAAN HIRSI ALI - SINÔNIMO DE DETERMINAÇÃO E CORAGEM


Infiel, este é o nome da autobiografia de uma mulher que promove admiração nas pessoas que almejam um pouco de determinação. A infidelidade não entra no sentido de traição entre marido e mulher, e sim, a descrença por uma religião – Islã - que dilacerou seu corpo, sua vida e família. Ayaan sofreu a circuncisão aos cinco anos, e ainda assistiu a da irmã mais nova Haweya, que confessa ter sido um dos seus maiores traumas.
Passou dias com as pernas amarradas para a cicatrização e segurando a urina, pois a ardência provocada pela ferida era intensa e agonizante. Com os olhos vendados, levou uma surra até desmaiar de um professor na tentativa de obrigá-la a decorar os versos do Corão. O resultado foi um traumatismo craniano, descoberto após o tio tocar sua cabeça e sentir um galo do tamanho de um tomate. Ajudou os refugiados da guerra civil, e se sentiu pequena entre eles, quando percebeu que enquanto mulheres tinham piolhos escorrendo pelo pescoço, um bebê desnutrido marcado para morrer, em sua bolsa havia creme dental, sabonete e toalha limpa.
Uma leitura surpreendente. É impressionante quando começamos a ler e não conseguimos mais parar. Ayaan foi obrigada a se casar com um homem que não conhecia, e aos 21 anos fugiu para a Holanda deixando para trás sua história e família. Presenciou sua irmã enlouquecer até decidir envia-la de volta para a Somália. Ela faleceu após ter tido uma hemorragia provocada por um aborto dominada pela insanidade, e Ayaan não pode nem assistir o enterro da irmã que era seu exemplo de coragem. Na Holanda, conseguiu se eleger deputada do Parlamento e foi ameaçada de morte por fanáticos da religião.
Com uma história de vida dessas a pergunta que surge é: porque não fazem um filme? Fizeram, mas o diretor do curta Submissão - parte 1, Theo van Gogh, foi assassinado pelo fundamentalista islâmico Mohammed Bouyeri. Depois de vários tiros descarregados por uma pistola, teve a cabeça degolada e uma faca encravada na barriga com uma carta endereçada a Ayaan com a mensagem: “A próxima será você”. Uma cena de terror, que Ayaan descreveu entre outras como a do 11 de setembro.
Em 2008, Ayaan recebeu o prêmio Simone de Beauvoir 2008, e está no ranking das 100 pessoas mais influentes da revista Time, de 2005. Atualmente, ela trabalha como Cientista Político e dá palestras em diversos lugares, dentre eles o Brasil. Superação, determinação, inteligência e coragem são palavras que descrevem a vida desta mulher. Em uma entrevista para a revista Veja, o jornalista fez a seguinte pergunta para ela: Se você um dia se encontrasse com Deus, o que gostaria de ouvir dele?
Ela respondeu: Você é verdadeira.

2 comentários:

ELIDY FLY disse...

Kellen, passo para elogiar seu blog...é de uma beleza tão leve quanto singular..PARABÈNS!

Deni disse...

parabens pelo blog...e por essa jornalista q por provações passou muitas..
hehe..
sorte pra ela!

primeira vez minha aki xD~

ótimo domingo
e tá convidad a vir
no meu viow..

www.bagageirodocurioso.spaceblog.com.br

abraço e serás bm vind ká!